CRONOLOGIA DO PROGRAMA ESPACIAL BRASILEIRO 
cronologiabrasil

País começou a investir no setor em 61, graças a Jânio e ao Sputnik

Missão Espacial Completa, que previa lançamento do VLS, foi aprovada em 79

As pesquisas espaciais no Brasil são mais antigas do que se imagina. A largada do programa espacial brasileiro foi dada em 1961, pelo então presidente Jânio Quadros. Quatro anos antes, o primeiro satélite artificial havia sido lançado ao espaço. Era o Sputnik, colocado em órbita pela União Soviética, em 4 de outubro de 1957. Três meses depois, em 31 de janeiro de 1958, foi a vez de os americanos lançarem seu primeiro satélite, o Explorer.

Em 3 de agosto de 1961, Jânio assinou um decreto criando o Grupo de Organização da Comissão Nacional de Atividades Espaciais (Gocnae). O órgão foi o embrião do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), inaugurado em 1971 em São José dos Campos (SP).
A aprovação, em 1979, da Missão Espacial Completa Brasileira (MECB) representou outro salto. O objetivo era ambicioso: lançar satélites brasileiros, com foguetes de construção nacional, em uma base localizada no País. O programa especificava que seriam quatro satélites, dois de coleta de dados (SCD-1 e SCD-2) e dois de sensoriamento remoto (SSR-1 e SSR-2).
Vinte anos depois, esses objetivos foram atingidos apenas parcialmente. O SCD-1 e o SCD-2 foram construídos. Lançados por um foguete americano, em 1993 e 1998, ambos ainda estão em órbita. Eles coletam dados meteorológicos, usados para fazer previsões, enviados por cerca de 300 sensores espalhados pelo País.
O Brasil também fez e lançou, com a China, o satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS) - o nome vem de China-Brazil Earth Resources Satelite - , também em operação. É um satélite de sensoriamento remoto, que faz imagens do território nacional, usadas para mapear os recursos naturais do País.
Agora, o objetivo é desenvolver o VLS. O objetivo inicial da MECB era lançar o VLS-1 em 1987. A escassez de recursos, no entanto, atrasou o cronograma em dez anos. O VLS foi lançado, mas explodiu no ar. Em 1999 houve nova tentativa, também fracassada.
Depois da tragédia do dia 22 de agosto de 2003, o lançamento do VLS, se for cumprida a promessa feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deverá ocorrer em breve. É esperar para ver se haverá recursos...    Já perdemos também a parceria na Estação Espacial Internacional. Por enquanto, vamos comemorar a missão de Marcos Pontes, o primeiro astronauta brasileiro, que aconteceu dentro de uma missão russa. 
Fonte: Jornal OESP, 2003.
 



   
1997/2018 © Luis Fábio S. Pucci, Instituto Galileo Galilei, São Paulo, SP. 
   Twitter
Twitter Luis Fábio
 
 
   
  Site Map